SELOS • STAMPS

1977 – Emissão Comemorativa da II Exposição Mundial Temática “Portucale-77” Barcos da Costa Portuguesa


Colecção Can the Can

1977 – Emissão Comemorativa da II Exposição Mundial Temática “Portucale-77” Barcos da Costa Portuguesa

 

Desenhos de Armando Alves estilizando alguns barcos da costa portuguesa – barco poveiro, barco do mar, barco da Nazaré, caíque do Algarve, barca de Xávega (Algarve), bateira de Buarcos. Impressão em off-set pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda sobre papel esmalte em folhas de 50 selos com denteado 12×11-3/4. Foram emitidos 5 milhões de selos de 2$00 azul verde preto cinzento e vermelho, 2 milhões de selos de 3$00 azul verde preto e cinzento, 5 milhões de selos de 4$00 cinzento preto verde azul castanho vermelho e amarelo, 1 milhão de selos de 7$00 azul verde cinzento preto e vermelho, 500 mil selos de 10$00 azul verde cinzento preto e vermelho, e 500 mil selos de 15$00 azul verde cinzento castanho e preto. Sobre os selos das taxas de 2$00 3$00 4$00 7$00 e 10$00 foi impressa uma tarja fosforescente. Postos em circulação a 19 de Novembro de 1977.

 

PORTUCALE-77 – II Exposição Mundial de Filatelia Temática, organizada pela Associação Portuguesa de Filatelia Temática sob o patrocínio da Fédération Internationale de Philatélie (FIP) e colaboração dos Correios e Telecomunicações de Portugal e Federação Portuguesa de Filatelia, esteve patente ao público no Pavilhão dos Desportos no Porto, de 19 a 28 de Novembro de 1977. As melhores colecções temáticas mundiais encontravam-se distribuidas em cerca de 1600 quadros. BARCO – É o nome genérico dado a todo o tipo de embarcações e tem a sua remota origem em simples madeiros maciços, que mais tarde passaram a ser canoas escavadas. De forma alongada e extremidades mais ou menos afiladas (proa ou parte de vante e pôpa ou parte de ré), sáo hoje construidos de madeira ou metal. A sua deslocação pode dar-se pelo aproveitamento da força dos ventos por meio de velas, pelo aproveitamento da força do homem por meio de remos, e modernamente pela utilização da força motriz. Na actualidade, as mais representativas embarcações portuguesas são as que se dedicam à pesca do alto nas costas de Portugal, frota constituída por barcos a remos ou com velas latinas de um, dois ou três mastros.

texto de Carlos Kullberg