Clôture de l'exposition universelle : distribution des récompenses aux exposants, au palais de l'industrie, (15 novembre 1855) Source gallica.bnf.fr / Bibliothèque nationale de France
Close of the great Exposition at Paris Source gallica.bnf.fr / Bibliothèque nationale de France
1854 Início da indústria conserveira em Portugal

Cerimónia de entrega de recompensas da Exposição Internacional de Paris de 1855


Cerimónia de entrega de recompensas da Exposição Internacional de Paris de 1855

A cerimónia de entrega de recompensas da Exposição Internacional de Paris de 1855, teve lugar na quinta-feira, 15 de novembro desse ano, na presença de 40.000 espectadores, na nave principal do Palais de l’Industrie.

A cerimônia começou por volta das 13h com um discurso do Príncipe Napoleão, presidente da Comissão Imperial, o qual imperador e a imperatriz ouviram de pé, seguido de um discurso do imperador Napoleão III, muito bem recebido e aclamado pelo.

O Comité da Exposição pretendeu garantir que o maior número de expositores ficaria satisfeito com a sua participação no evento. Ser escolhido pelos comités de seleção já seria em si uma honra.

Do total de 23.954 expositores, 11.033 foram premiados. Menções honrosas, medalhas de terceira, segunda e primeira classe, grandes medalhas – prémios que foram distribuídos à vontade, mas com diferentes graus de classificação. Os suficientes para dar aos escalões mais altos dos vencedores uma sensação triunfo genuíno e aos restantes um sentimento de reconhecimento.

O Príncipe Napoleão tentou conseguir implementar uma outra inovação no que diz respeito à distribuição de prémios. Ao fazer um julgamento de excelência sobre produtos provenientes de grandes empresas, o príncipe instou os júris, para que todos os esforços fossem feitos para destacar o trabalhador ou o responsável que supervisionou o projecto. A empresa não deveria ser a única destinatária do prémio por um trabalho de alta qualidade. Mas muito poucos desses prémios foram atribuídos. O príncipe atribuiu esse fracasso à relutância dos próprios jurados e também à relutância das empresas em escolher os seus trabalhadores para receber elogios.

Foram inúmeras as empresas portuguesas que foram premiadas na Exposição Internacional de Paris de 1855, na qual destacamos Feliciano António da Rocha, de Setúbal, com conservas de sardinha em azeite.

Lista de recompensas concedidas aos expositores que concorreram à exposição Universal de Paris