Empresa

Gio Batta Trabucco • Olhão


Marcas:  Mercedes  |  Janus  |  Nereide  |  Gio Batta Trabucco  |  Le Canot  |  Réveil de l’Egypte

GIO BATTA TRABUCCO, LDA.

Factory name unknown

Founded 1895

Unknown closing date

Largo da Feira (ou Prainhas)

OLHÃO

Office / Escritório  Praça Duque da Terceira, 24 – 4º Lisboa

PACKERS OF CANNED FISH IN OLIVE OIL / EXPORTERS OF CANNED FISH IN OLIVE OIL

Source: 1948_04 revista de Conservas

Source: Ainda Olhão e a Indústria de Conservas de Peixe – Luciano Cativo

Source: Anúncio Gio-Batta Trabucco • Revista Internacional nº6 • ano 1938

Texto retirado de:

A INDÚSTRIA DE CONSERVAS DE PEIXE NO ALGARVE (1865 – 1945)

Joaquim Manuel Vieira Rodrigues

Outra importante empresa com sede em Olhão e uma sucursal em Porto Brandão foi a de Gio-Batta Trabuco, cuja origem remontava já a 1896, mas que a 7 de Agosto de 1921, formou uma sociedade por quotas com um capital social de 200 contos. Os sócios e respectiva quota eram: Gio-Batta Trabuco (140 contos), Angelo Semino (40 contos), Luigi Vaccheri (10 contos) e Juan Gomes Fernandes (10 contos). Os três primeiros certamente italianos, o quarto provavelmente espanhol ou de origem espanhola. A diferença económica do quarteto era por demais evidente. A quota de Gio-Batta Trabuco era representada por todos os maquinismos, ferramentas e utensílios e por uma parte das matérias-primas e produtos manufacturados existentes nas suas fábricas de Olhão e de Porto Brandão. Contudo, a outra parte restante das mesmas matérias-primas e produtos manufacturados nelas existentes ficariam a pertencer, de futuro, à sociedade agora constituída, pelo que Gio-Batta ficaria credor da sociedade pelo valor das referidas matérias-primas e produtos manufacturados, ficando este capital, de futuro, e enquanto não fosse pago, a vencer o juro anual de 6%. Os edifícios onde se encontravam instaladas ambas as unidades de produção não entrariam para a sociedade pelo que continuavam sendo propriedade do Gio-Batta Trabuco[1].

[1] Gazeta de Olhão, nº 73, 13/11/21, p. 3.

Gio Batta Trabucco

Esteve sempre no ex  -Largo da Feira (ou Prainhas). Cessou a sua actividade que passou a ser exercida por um industrial de frutos secos, de Armação de Pêra, o Sr. Vieira Rodrigues. Este, não lhe interessando mais a continuação da fábrica, promoveu a venda do edifício, que foi demolido para serem construídos diversos blocos de apartamentos.

in Ainda Olhão e a Indústria de Conservas de Peixe – Luciano Cativo


Fontes: | |