I.P.C.P. – INSTITUTO PORTUGUÊS DE CONSERVAS DE PEIXE

Processo I.P.C.P. • marcas Ruby e Rubi


Brands:  Ruby  |  Rubi

Processo I.P.C.P. • marcas Ruby e Rubi

A marca RUBY pertencia a uma empresa americana de Nova York, a J. A. Kirsch Corp., sendo produzida por José António Ritta, a Empresa Mercantil de Pesca, Lda. e provavelmente outras, uma vez que era uma marca de um cliente que comprava em Portugal.

No entanto a sociedade portuguesa, SONIL Sociedade Nacional de Intercambio, em  Olhão, detinha em Portugal a marca RUBI, tendo autorizado que as empresas portuguesas pudessem “encher” e exportar a marca RUBY para a J. A. Kirsch Corp.

A semelhança e confundibilidade das marcas criou confusões e diversas empresas produziram sob a marca RUBI, facto que a Sonil, detentora da marca, deixou de tolerar.

Isto apesar de ter autorizado, para não prejudicar gravemente outras empresas, a que exportassem os lotes produzidos.

Na carta do IPCP dirigida ao Director Geral do Comércio, aparentemente a marca RUBY, em 1969, pertencia à Socièté d`Entreprises Anversaises de Comerce, Société Anonyne Sodeac.

Espólio I.P.C.P. – Instituto Português de Conservas de Peixe • DGRM Direcção Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos